wwww

Como desenvolver Talento? (1 de 3)

Como desenvolver Talento? (1 de 3)

Antes de respondermos à pergunta no título, seja em si ou com outros, importa começar por questionar: para que quer desenvolver talento? Poderá ser para desenvolver determinados skills, para aumentar os seus resultados, para se integrar numa equipa, para experimentar uma actividade diferente, para ficar melhor num hobby, num desporto, a liderar, a comunicar, a vender, ou noutra arte.

Então, poderá perguntar-se: Mas o talento desenvolve-se?, E como desenvolvo talento?
No livro O Código do Talento, Daniel Coyle refere 3 regras essenciais por trás do desenvolvimento consistente de talento. Coyle viajou à volta do mundo para observar o que acontece na prática em centros de treino de alta performance, ou viveiros de talento como ele lhes chama, em diversas áreas. As 3 regras resultam dessa observação, da pesquisa de vários estudos, das diversas conversas com treinadores, high performers e neurocientistas.

Neste texto abordamos a primeira: Decompor.

O célebre um passo de cada vez. Mesmo que nalgum momento no passado não tenha acreditado, lhe pareça difícil ou demasiado simples… É assim tão eficaz, simples e intuitivo! A primeira regra para desenvolver talento é “partir” em pedaços, decompor o treino da actividade em que nos queremos desenvolver.

Nesse Decompor existem 3 passos que potenciam o treino: 1. Absorver o todo; 2. Compartir em fragmentos; 3. Abrandar.

1. Absorver o todo: observe (num modelo de referência) a execução da habilidade em que se pretende desenvolver. Como diz Anders Ericsson, psicólogo sueco que estuda talento há mais de 30 anos: “estamos programados para imitar” e esta acção muitas vezes é muito inconsciente. Também por isso, acredito que qualquer pessoa tem muito a ganhar em aprender e dominar a arte da Modelagem como trabalhada em Programação Neuro Linguística há mais de 40 anos.

2. Compartir em fragmentos: desmonte uma perícia, uma ação, nas suas partes. Cada uma terá um circuito neuronal que é disparado cada vez que a observa e cada vez que a pratica. Depois, memorize essas partes individualmente. A seguir, repita a memorização juntando-as progressivamente em conjuntos maiores. Assim, estará a interligar esses circuitos neuronais.

3. Abrandar: pratique mais lentamente cada parte da atividade a desenvolver. A ideia é, por exemplo, fazer 3 a 5 vezes mais devagar; treinar durante 3 horas um excerto de minutos de uma música de 3 horas; treinar 30 minutos a leitura de um parágrafo do texto com 3 páginas que vai comunicar; e depois treinar as partes seguintes. Pois “não se trata da velocidade de execução. Trata-se de quão devagar podemos executar correctamente” diz Tom Martinez (treinador de futebol). O Abrandar permite que se preste maior atenção a pequenos erros, ou desvios, aumentando o grau de precisão; e, desenvolver uma maior percepção da perícia no plano interno – “a forma e o ritmo da interligação dos circuitos” neuronais associados à actividade em que está a desenvolver talento!

Independentemente do que acredita sobre este tema, talento é diferente de matéria-prima. Todos temos a principal matéria-prima necessária para desenvolver talento: mielina. Esta é a matéria que se desenvolve em torno das ligações neuronais. De cada vez que os neurónios de uma ligação neuronal “disparam”, a mielina isola-a e reforça-a. Assim aumenta o “canal” neuronal por onde circula a “informação” de um pensamento, do movimento de um músculo, de todas as actividades que ocorrem no sistema humano. Eu sei, é uma descrição menos glamorosa e romântica do desenvolvimento de Talento. :) Essa parte virá da Paixão pelo que quer desenvolver! 😉 Se não sabe ou não tem a certeza de que talento quer desenvolver… contate-me.

Se já sabe… teste! Escolha uma actividade que pratica e em que gostava de desenvolver o seu talento (se escolher uma actividade que ainda não pratica garanta que arranja o tempo para treinar). Siga os 3 passos desta primeira regra. Observe os resultados que obtém nas próximas semanas.

Se quiser continuar a desenvolver talento, leia o próximo artigo com a segunda regra!

João Ricardo Pombeiro

Referências:
* O Código do Talento; Daniel Coyle; Livros d’Hoje, Publicações Dom Quixote (Grupo Leya); 2009
* The Inner Game of Tennis; Timothy Gallwey; Random House Trade Paperbacks; 2008

Ver Como desenvolver talento parte 2.

Previamente publicado no site da LIFE Training, aqui.

   

Deixar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *